sábado, 31 de agosto de 2013

Evangelho do dia sábado parabola dos talentos

21ª Semana Comum – Sábado 31/08/13

 
SEMEANDO A JUSTIÇA DE DEUS A LEITURA DO EVANGELHO MOSTRARÁ O CHEFE DANDO CADA UM OS TALENTOS QUE MERECEM UM DEU CINCO ,OUTRO DEU DOIS E OUTRO DEU UM.

Primeira Leitura (1Ts 4,9-11)


Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Tessalonicenses.

Irmãos, 9não é preciso escrever-vos a respeito do amor fraterno, pois já aprendestes de Deus mesmo a amar-vos uns aos outros. 10É o que já estais fazendo com todos os irmãos, em toda a Macedônia. Só podemos exortar-vos, irmãos, a progredirdes sempre mais. 11Procurai viver, com tranquilidade, dedicando-vos aos vossos afazeres e trabalhando com as próprias mãos, como recomendamos.


- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.


Responsório (Sl 97)

— O Senhor julgará as nações com justiça.
— O Senhor julgará as nações com justiça.

— Cantai ao Senhor Deus um canto novo, porque ele fez prodígios! Sua mão e o seu braço forte e santo alcançaram-lhe a vitória.
— Aplauda o mar com todo ser que nele vive, o mundo inteiro e toda gente! As montanhas e os rios batam palmas e exultem de alegria,
— na presença do Senhor; pois ele vem, vem julgar a terra inteira. Julgará o universo com justiça e as nações com equidade.
 a parábola dos talentos

Evangelho (Mt 25,14-30)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos esta parábola:
14”Um homem ia viajar para o estrangeiro. Chamou seus empregados e lhes entregou seus bens. 15A um deu cinco talentos, a outro deu dois e ao terceiro, um; a cada qual de acordo com a sua capacidade. Em seguida viajou. 16O empregado que havia recebido cinco talentos saiu logo, trabalhou com eles, e lucrou outros cinco. 17Do mesmo modo, o que havia recebido dois lu­crou outros dois. 18Mas aquele que havia recebido um só, saiu, cavou um buraco na terra, e escondeu o dinheiro do seu patrão. 19Depois de muito tempo, o patrão voltou e foi acertar contas com os empregados. 20O empregado que havia recebido cinco talentos entregou-lhe mais cinco, dizendo: ‘Senhor, tu me entregaste cinco talentos. Aqui estão mais cinco que lucrei’. 21O patrão lhe disse: ‘Muito bem, servo bom e fiel! Como foste fiel na administração de tão pouco, eu te confiarei muito mais. Vem participar da minha alegria!’ 22Chegou também o que havia recebido dois talentos, e disse: ‘Senhor, tu me entregaste dois talentos. Aqui estão mais dois que lucrei’. 23O patrão lhe disse: ‘Muito bem, servo bom e fiel! Como foste fiel na administração de tão pouco, eu te confiarei muito mais. Vem participar da minha alegria!’ 24Por fim, chegou aquele que havia recebido um talento, e disse: ‘Senhor, sei que és um homem severo, pois colhes onde não plantaste e ceifas onde não semeaste. 25Por isso fiquei com medo e escondi o teu talento no chão. Aqui tens o que te pertence’. 26O patrão lhe respondeu: ‘Servo mau e preguiçoso! Tu sabias que eu colho onde não plantei e que ceifo onde não semeei? 27Então devias ter depositado meu dinheiro no banco, para que, ao voltar, eu recebesse com juros o que me pertence’. 28Em seguida, o patrão ordenou: ‘Tirai dele o talento e dai-o àquele que tem dez! 29Porque a todo aquele que tem será dado mais, e terá em abundância, mas daquele que não tem, até o que tem lhe será tirado. 30Quanto a este servo inútil, jogai-o lá fora, na escuridão. Ali haverá choro e ranger de dentes!”


— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Reflexão do Evangelho
Senhor, tu me entregaste cinco talentos. Aqui estão mais cinco que lucrei”. O patrão lhe disse: “Muito bem, servo bom e fiel! Como foste fiel na administração de tão pouco, eu te confiarei muito mais. Vem participar da minha alegria!” (Mt 25, 20-21)

Hoje no evangelho nos mostra a figura dos três que receberão o mesmo talento do patrão um deu cinco talentos a outro deu dois e a outro deu um ,mas este deu recebeu um talento do chefe enterrou no chão e disse ao chefe  Senhor, sei que és um homem severo, pois colhes onde não plantaste e ceifas onde não semeaste. Por isso fiquei com medo e escondi o teu talento no chão. Aqui tens o que te pertence’. O patrão lhe respondeu: ‘Servo mau e preguiçoso! Tu sabias que eu colho onde não plantei e que ceifo onde não semeei? Então devias ter depositado meu dinheiro no banco, para que, ao voltar, eu recebesse com juros o que me pertence’. Em seguida, o patrão ordenou: ‘Tirai dele o talento e dai-o àquele que tem dez!

O chefe confiou a ele um talento mais ele não foi capaz de  cuidar do talento do chefe 
enterrou no chão com medo pensando que  quando o chefe chegasse ele iria dar mais que ele merecia ,mas não por causa de ter enterrado  e não fez do que os outros fizerão trabalharam até ter a quantia para dar ao chefe mas tarde o chefe chega e quer receber a quantia começando quem tinha dado cinco recebeu mais cinco e ao outro dois que recebeu o mesmo tanto a outro um , o chefe tirou dele o que ele tinha e deu aquele que tinha dez. 
Isso é aquele que não sabe guardar os talentos que Deus pra pra todos nós,ele dar a cada um do que merece e aquele que não merece é jogado para fora..
Mas Jesus na parábola dos talentos, apontava para a preciosíssima tarefa de anunciar a palavra, a graça e o amor de Deus, dada a todos aqueles que recebem Jesus como salvador. O trabalho na seara do Senhor está intimamente relacionada às habilidades potenciais, que cada ser humano recebe do Criador.
"Porque isto é também como um homem que, partindo para fora da terra, chamou os seus servos, e entregou-lhes os seus bens." Mateus 25:14
"E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe." Mateus 25:15



Os Talentos: Vidas, Bens Preciosos do Senhor

E Jesus nos revela na parábola, que a divisão dos talentos segue uma proporcionalidade relativa à capacidade de cada indivíduo. Deu mais a quem mais tinha condições de desempenhá-los com maior desembaraço, que por consequência negociou mais e obteve um sucesso maior.
O servo que recebeu um pouco menos, negociou dois talentos, e granjeou outros dois talentos também. Mas repare que a recompensa foi a mesma para os dois:
"Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles." Mateus 25:20
"E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor." Mateus 25:21
"E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos." Mateus 25:22
"Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor." Mateus 25:23

Enterrando os Talentos

Os talentos faziam referência ao poder que o Espírito Santo plantou em cada um de nós na forma de dons, talentos e habilidades que são despertadas através da fé.
O problema do servo infiel não foi a sua pouca capacidade, pois o senhor distribuiu os talentos conforme a capacidade de cada homem. Jesus mostra que o que impediu com que este servo lograsse êxito na sua jornada, foi justamente o medo que o paralisava, pois achava que não tinha capacidade alguma de negociá-lo.
a parábola dos talentos 
 Na Parábola, Um Dos Servos Enterra Os Talentos.

E qual seria a diferença entre os dois primeiros servos que tiveram um performance melhor, e este último servo que enterrou o seu talento? As condições foram de igualdade, pois nenhum deles recebeu além de suas capacidades, sejam físicas, intelectuais ou espirituais.
Não houve cobrança performática quantitativa por parte do senhor das terras.
Ocorre que os primeiros servos creram, não duvidaram que o seu senhor conhecia a capacidade de cada um deles. E eles se lançaram no mundo a trabalhar os talentos recebidos do seu senhor.
Não ficaram esperando por infraestrutura, escritórios, cursos teológicos, meios de transporte, nada. Nem ficaram com pena de si mesmos, achando que não eram dignos, que eram ainda pecadores, que precisavam melhorar primeiro, não.
Eles apenas encheram-se de uma linda esperança de fé. E caminharam e realizaram. Onde havia pessoas, havia uma oportunidade de ganhar mais talentos.
"E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos." Mateus 25:16
Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois." Mateus 25:17
E no mundo espiritual também é assim. São os que creem, que fazem acontecer. São aqueles tomados por uma santa e "louca" convicção de que podem alcançar milagres, que os alcançam.
E não ficam mergulhados em Culpas , em medos, em indignidades, em falta de habilidades.
Mas há aqueles que estão sempre esperando um sinal, estão sempre esperando uma melhora que nunca chega. O medo de não dar certo, sempre alegando falta de conhecimento ou falta de tempo. Estes estão enterrando os talentos.
"Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor." Mateus 25:18

O Maior Talento é o Dom do Espírito Santo

O maior talento é você mesmo. O dom do Espírito Santo mora em você, mas você precisa ativá-lo pelo poder sobrenatural da fé. A capacidade é dada pelo próprio Senhor, mas precisa que você creia.
Negociar os talentos, não significa ficar esperando uma oportunidade de fazer "grandes pregações" em "templos enormes" e cheios de gente.
Os seus dons são para serem exercidos no meio da sociedade em que vivemos, até onde for o seu alcance. É influenciando pacificamente o seu ambiente que se começa.
Ajudando, consolando o próximo, com bom testemunho, com boas palavras, com atitudes de amor Deixando o Espírito Santo transparecer, por meio das suas boas obras.
Porque quando realmente se entende o evangelho como o sentido real da vida, há uma alegria perene, transbordante, que nos faz andar em louvor a Deus e procurando louvá-lo em todas as situações cotidianas.
Aí você pode estar na lida, no labor diário, mas ainda assim, negociando com seus talentos, ganhando vidas para o seu Senhor, sejam eles colegas de trabalho, amigos, familiares, companheiros de faculdade, enfim.
O maior talento é você mesmo, pois o dono dos talentos, o Espírito Santo habita em você. Peça à Ele sabedoria, mas creia, é chegada a hora de sair para granjear ainda mais talentos, é tempo de despertar.
E se formos fiel com estes poucos talentos, certamente nos será dado tesouros eternos , guardados para o grande dia em que nos revelará o nosso Senhor.

Hoje a igreja celebra a festa de São Raimundo Nonato 



 http://1.bp.blogspot.com/_pGLAh1T5rTc/TG-K6E63PzI/AAAAAAAADxs/ieIwTCvTWRQ/s1600/resized_s__o_raimundo_1_2_3.jpg

31 de Agosto - São Raimundo Nonato

Raimundo nasceu em Portell, na Catalunha, Espanha, em 1200. Seus pais eram nobres, porém não tinham grandes fortunas. O seu nascimento aconteceu de modo trágico: sua mãe morreu durante os trabalhos de parto, antes de dar-lhe à luz. Por isso Raimundo recebeu o nome de Nonato, que significa não-nascido de mãe viva, ou seja, foi extraído vivo do corpo sem vida dela.

Dotado de grande inteligência, fez com certa tranqüilidade seus estudos primários. O pai, percebendo os dotes religiosos do filho, tratou de mandá-lo administrar uma pequena fazenda de propriedade da família. Com isso, queria demovê-lo da idéia de ingressar na vida religiosa. Porém as coisas aconteceram exatamente ao contrário.

Raimundo, no silêncio e na solidão em que vivia, fortificou ainda mais sua vontade de dedicar-se unicamente à Ordem de Nossa Senhora das Mercês, fundada por seu amigo Pedro Nolasco, agora também santo. A Ordem tinha como principal finalidade libertar cristãos que caíam nas mãos dos mouros e eram por eles feitos escravos. Nessa missão, dedicou-se de coração e alma.

Apesar da dificuldade, conseguiu o consentimento do pai e, finalmente, em 1224, ingressou na Ordem, recebendo o hábito das mãos do próprio fundador. Ordenou-se sacerdote e seus dotes de missionário vieram à tona, dedicando-se nessa missão de coração e alma. Por isso foi mandado em missão à Argélia, norte da África, para resgatar cristãos das mãos dos muçulmanos. Conseguiu libertar cento e cinqüenta escravos e devolvê-los às suas famílias.

Quando se ofereceu como refém, sofreu no cativeiro verdadeiras torturas e humilhações. Mas mesmo assim não abandonou seu trabalho. Levava o conforto e a Palavra de Deus aos que sofriam mais do que ele e já estavam prestes a renunciar à fé em Jesus. Muitas foram as pessoas convertidas por ele, o que despertou a ira dos magistrados muçulmanos, os quais mandaram que lhe perfurassem a boca e colocassem cadeados, para que Raimundo nunca mais pudesse falar e pregar a doutrina de Cristo.

Raimundo sofreu durante oito meses essa tortura até ser libertado, mas com a saúde abalada. Quando chegou à pátria, na Catalunha, em 1239, logo foi nomeado cardeal pelo papa Gregório IX, que o chamou para ser seu conselheiro em Roma. Empreendeu a viagem no ano seguinte, mas não conseguiu concluí-la. Próximo de Barcelona, na cidade de Cardona, já com a saúde debilitada pelos sofrimentos do cativeiro, Raimundo Nonato foi acometido de forte febre e acabou morrendo, em 31 de agosto de 1240, quando tinha, apenas, quarenta anos de idade.

Raimundo Nonato foi sepultado naquela cidade e o seu túmulo tornou-se local de peregrinação, sendo, então, erguida uma igreja para abrigar seus restos mortais. Seu culto propagou-se pela Espanha e pela Europa, sendo confirmado por Roma em 1681. São Raimundo Nonato, devido à condição difícil do seu nascimento, é venerado como Padroeiro das Parturientes, das Parteiras e dos Obstetras. 

 São Raimundo Nonato
São Raimundo Nonato nasceu em Portel, Espanha. Quando São Pedro No lasco, a 10 de agosto de 1218, dava início à Ordem das Mercês para a redenção dos escravos, com rito solene na Catedral de Barcelona, da qual era cônego o amigo e conselheiro Raimundo de Penafort, entre os fiéis estava também o moço de dezoito anos, Raimundo, chamado Nonato porque foi extraído do corpo da mãe morta no parto. Filho de família pobre, quando menino foi pastor de rebanhos. Vestiu o hábito dos mercenários aos vinte e quatro anos de idade, seguindo o exemplo do fundador, se dedicou à libertação dos escravos da Espanha ocupada pelos mouros e à pregação no meio deles. No ano de 1226 chegou até a Argélia e entregou-se como escravo, a fim de consolar e animar pela fé os prisioneiros e trabalhar pela sua libertação Este gesto parece natural a que chega a caridade heróica de um santo que vive o Evangelho integralmente.

São Raimundo ficou vários meses como refém e submetido a reiteradas e cruéis malvadezas, continuou pregando o Evangelho e seus perseguidores chegaram ao ponto de furarem a ferro quente os seus lábios e os trancaram com um cadeado, para impedir que ele continuasse denunciando as injustiças e proclamando o Evangelho. Foi finalmente resgatado e muito debilitado retornou à Espanha. O Papa Gregório IX quis render-lhe uma homenagem pública por tão grandes virtudes conferindo-lhe em 1239, apenas libertado, a dignidade cardinalícia, convocando-o como conselheiro. Pôs-se em viagem, para atender ao convite do Papa, mas pouco depois uma febre violentíssima o atingiu e morreu em 31 de agosto de 1240 em Cardona, perto de Barcelona. Foi sepultado na Igreja de São Nicolau, que a popular devoção do santo, inserido do Martirológio Romano em 1657 pelo Papa Alexandre VII.

Pela sua difícil vinda à luz do mundo, São Raimundo Nonato é invocado como o patrono e protetor das parturientes e das parteiras.

São Raimundo Nonato socorrei a todas as parturientes e os Recém-nascidos pela graça e amor de Deus.

Um comentário:

  1. não plantemos no chão os nossos talentos mas damos a Deus o que ele merece.

    ResponderExcluir