segunda-feira, 12 de maio de 2014

LITURGIA DO BOM PASTOR..

4ª Semana da Páscoa – Segunda-feira 12/05/2014 

liturgia do Bom pastor  

http://1.bp.blogspot.com/_N7qno7a5_DU/S9Tbv6SLY5I/AAAAAAAAOu4/Lw_HGqEUI1U/s1600/bom+pastor+a.jpg
Primeira Leitura (At 11,1-18)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.
Naqueles dias, 1os apóstolos e os irmãos, que viviam na Judeia, souberam que também os pagãos haviam acolhido a Palavra de Deus.
2Quando Pedro subiu a Jerusalém, os fiéis de origem judaica começaram a discutir com ele, dizendo: 3“Tu entraste na casa de pagãos e comeste com eles!” 4Então, Pedro começou a contar-lhes, ponto por ponto, o que havia acontecido: 5“Eu estava na cidade de Jope e, ao fazer oração, entrei em êxtase e tive a seguinte visão: Vi uma coisa parecida com uma grande toalha que, sustentada pelas quatro pontas, descia do céu e chegava até junto de mim.
6Olhei atentamente e vi dentro dela quadrúpedes da terra, animais selvagens, répteis e aves do céu. 7Depois ouvi uma voz que me dizia: Levanta-te, Pedro, mata e come’. 8Eu respondi: ‘De modo nenhum, Senhor! porque jamais entrou coisa profana e impura na minha boca’. 9A voz me disse pela segunda vez: ‘Não chames impuro o que Deus purificou’.
10Isso se repetiu por três vezes. Depois a coisa foi novamente levantada para o céu. 11Nesse momento, três homens se apresentaram na casa em que nos encontrávamos. Tinham sido enviados de Cesareia à minha procura. 12O Espírito me disse que eu fosse com eles sem hesitar. Os seis irmãos que estão aqui me acompanharam e nós entramos na casa daquele homem.
13Então ele nos contou que tinha visto um anjo apresentar-se em sua casa e dizer: ‘Manda alguém a Jope para chamar Simão, conhecido como Pedro. 14Ele te falará de acontecimentos que trazem a salvação para ti e para toda a tua família’. 15Logo que comecei a falar, o Espírito Santo desceu sobre eles, da mesma forma que desceu sobre nós no princípio. 16Então eu me lembrei do que o Senhor havia dito: ‘João batizou com água, mas vós sereis batizados no Espírito Santo’.
17Deus concedeu a eles o mesmo dom que deu a nós que acreditamos no Senhor Jesus Cristo. Quem seria eu para me opor à ação de Deus?” 18Ao ouvirem isso, os fiéis de origem judaica se acalmaram e glorificaram a Deus, dizendo: “Também aos pagãos Deus concedeu a conversão que leva para a vida!”

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Responsório (Sl 41)

— Minha alma suspira por vós, ó meu Deus.
— Minha alma suspira por vós, ó meu Deus.

— Assim como a corça suspira pelas águas correntes, suspira igualmente minh’alma por vós, ó meu Deus!
— A minh’alma tem sede de Deus, e deseja o Deus vivo. Quando terei a alegria de ver a face de Deus?
— Enviai vossa luz, vossa verdade: elas serão o meu guia; que me levem ao vosso Monte santo, até vossa morada!
— Então irei aos altares do Senhor, Deus da minha alegria. Vosso louvor cantarei, ao som da harpa, meu Senhor e meu Deus!


Evangelho (Jo 10,11-18)

 bom pastor 11
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus: 11“Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida por suas ovelhas. 12O mercenário, que não é pastor e não é dono das ovelhas, vê o lobo chegar, abandona as ovelhas e foge, e o lobo as ataca e dispersa. 13Pois ele é apenas um mercenário e não se importa com as ovelhas.
14Eu sou o bom pastor. Conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem, 15assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai. Eu dou minha vida pelas ovelhas. 16Tenho ainda outras ovelhas que não são deste redil: também a elas devo conduzir; escutarão a minha voz, e haverá um só rebanho e um só pastor.
17É por isso que o Pai me ama, porque dou a minha vida, para depois recebê-la novamente. 18Ninguém tira a minha vida, eu a dou por mim mesmo; tenho poder de entregá-la e tenho poder de recebê-la novamente; esta é a ordem que recebi de meu Pai”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Eu sou o bom pastor" (Jo 10,11). O primeiro aspecto que nos chama a atenção desta expressão é, precisamente, esta primeira palavra. Jesus é um "pastor bom", mas não no sentido moral, de portar-se bem. Ser bom aqui tem um sentido de autenticidade. Jesus é o autêntico pastor. Ser autêntico significa também ser genuíno, fiel, provado, autorizado, verídico, legítimo, confirmado, incontestável. Tudo isso dizemos de Jesus que exerce a sua tarefa com delicadeza e amor.
 O Bom Pastor quer constituir um só rebanho, e lhe preocupa todas as ovelhas, mas especialmente aquelas que estão mais afastadas do redil. O Bom Pastor atua com muita liberdade e com muito amor, convida, propõe, respeita e não deixa de amar a nenhuma de suas ovelhas, por isso deu sua vida. A entrega do autêntico pastor é uma entrega que nasce da liberdade: (a vida) "ninguém a tira de mim, as eu a dou livremente" (Jo 10,18).
Dar a vida pelas ovelhas" significa estar disposto a sacrificar-se por amor. As ovelhas sentem e percebem quando alguém as defende, as protege. Isto vale para todos nós: para os padres e para aqueles que têm qualquer responsabilidade sobre outras pessoas. Para um padre saber se é um pastor bom, não basta ter sido nomeado pároco e obedecer estritamente às normas canônicas. É necessário ser reconhecido como bom pastor pelas ovelhas, é necessário que a comunidade reconheça os traços de Jesus, o bom pastor no padre. "Vi Deus num homem" assim se expressou alguém ao ver o velho santo cura d'Ars, São João Maria Vianney. Pois Jesus disse que não só o pastor deve conhecer as ovelhas, senão que também as ovelhas reconheçam o pastor (cf. Jo 10,14). Porque se a comunidade cristã não reconhecer o bispo ou o padre como seu pastor, ainda que seja nomeado segundo o direito canônico e revestido com toda a autoridade e símbolos do poder sagrado, ele não será pastor segundo o coração de Cristo. O mercenário, que não é pastor" (Jo 10,12). Olhando de fora, não se percebe a diferença entre o mercenário e o pastor. Os dois se ocupam das ovelhas. Hoje há muitas pessoas que se ocupam de outras nos hospitais, nas instituições de caridade, nas paróquias, nas comunidades, nos colégios, no serviço público, na política. Alguns o fazem por amor, outros, apenas pelo salário, pela sobrevivência. A estas pessoas os outros não lhes interessam. Têm conduta de funcionários, de assalariados ou de mercenários. No momento do perigo do rebanho, elas não se interessam não se angustiam, nem se preocupam, porque as ovelhas não são suas; as crianças ou idosos não são deles, os alunos não são deles, os doentes não são deles, os fieis não são deles.
 
 
 
EU SOU O BOM PASTOR EU CONHEÇO AS MINHAS OVELHAS E ELAS ME CONHECEM O BOM PASTOR DA SUA VIDA PELAS OVELHAS..

Nenhum comentário:

Postar um comentário